Quinta-Feira , 23 Novembro 2017

 

Uma grande festa reunindo agentes de limpeza, diretoria e demais empregados da Limpurb ocorre a partir do meio-dia desta terça-feira (16), para celebrar o Dia do Gari, na sede do órgão, na BR-324. A ação é uma forma de valorizar a atuação destes profissionais que trabalham diariamente para manter Salvador mais limpa e bonita. Como já é tradição, a confraternização terá um grande almoço, seguido de brincadeiras e distribuição de prêmios para os funcionários.

 

Atualmente, a Limpurb conta com um efetivo de 3.522 agentes de limpeza. Desse total, 195 são mulheres, sendo três servidoras do órgão e as demais terceirizadas. Além da coleta sistemática do lixo doméstico, empresarial, hospitalar e de espaços públicos, os profissionais atuam ainda na remoção de entulho, varrição, lavagem das ruas, capinação e roçagem, dentre outras ações.

 

"É preciso destacar a força de trabalho, dedicação e carinho oferecidos por esses guerreiros ao serviço de limpeza urbana em Salvador. Eles são o maior patrimônio da Limpurb. Com esse trabalho criterioso, a cidade só tem a ganhar. O trabalho desempenhado precisa ser valorizado, pois os garis atuam diuturnamente para garantir uma cidade limpa e bonita para a população", lembra o presidente da empresa, Kaio Moraes.

 

Orgulho - Maria Lúcia Dias da Silva, "mãe, avó e gari orgulhosa", dedica 18 dos seus 49 anos à atividade que considera essencial à comunidade. Lotada na região do Garcia/Campo Grande, ela é terceirizada da Revita, uma das parceiras da empresa pública. A gari criou e educou os filhos exercendo a profissão. "É um trabalho muito importante. No início, claro, era difícil, pois a comunidade não colaborava muito com o nossa atividade. Mas hoje a recepção da população está bem melhor. Gosto muito do que faço, e cada dia mais me aprimoro na profissão. Sei que ainda há muito preconceito com essa atividade, mas temos que passar por cima disso tudo no dia a dia. Por outro lado, há moradores que reconhecem, conversam e sabem da importância da função que exercemos", diz.

 

Mesmo se considerando querida pelos colegas e por parte da comunidade onde atua, Maria Lúcia afirma sentir ainda um pouco de preconceito por desempenhar uma atividade que, geralmente, é associada a homens. "Às vezes, ouvimos coisas desagradáveis, dizem que não somos capazes de suportar o peso de um trabalho mais duro, coisas assim. Mas isso não me afeta em nada. No final, o que importa mesmo é o orgulho que minha família sente de mim".

 

Tradição familiar - Seguindo os passos da mãe, que por 34 anos honrou a farda branca e anil da Limpurb, Anargeval Bastos de Souza, 44, já tem três décadas de atuação como agente de limpeza do município. É considerado um funcionário padrão pela empresa e será homenageado na confraternização organizada pela Limpurb na próxima terça-feira. Hoje, pai de três filhas, Anargeval começou na atividade aos 14 anos, em 1987, como gari-mirim, um projeto de inclusão para jovens em idade escolar mantido à época pela Prefeitura.

 

“Aqui escrevi minha história de vida, seguindo os passos de minha mãe e de dois irmãos que também integraram os quadros da Limpurb. Nosso trabalho significa muito para a sociedade. Temos consciência de que auxiliamos na prevenção de doenças, proliferação de ratos e insetos que fazem mal à saúde humana. Quero fazer um apelo à população para que ajude o nosso trabalho, separando devidamente o lixo orgânico dos resíduos recicláveis, realizando com cuidado o descarte de objetos cortantes, como lâminas, vidros, lâmpadas", afirma.

 

Ele também faz um pedido à população. "Outra coisa importante também, e que sentimos muita falta, é de um cumprimento, uma palavra de incentivo das pessoas durante o trabalho, pois também gostamos de ser bem tratados, seja com um bom dia ou boa noite".