Terça-Feira , 11 Dezembro 2018
0
0
0
s2sdefault

Inserida no Plano de Desenvolvimento Urbano de Salvador (PDDU), o Parque da Lagoa dos Pássaros, localizada no Stiep, será totalmente reurbanizada pela Prefeitura. A ordem de serviço para o início imediato das obras no local foi assinada pelo prefeito ACM Neto nesta quinta-feira (12), acompanhado de gestores municipais e moradores. A intervenção será feita em uma área de 2,6 mil m², com investimento de quase R$825 mil e conclusão prevista para novembro deste ano. 

 

Todo o projeto de reestruturação do lugar foi desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) e as obras serão realizadas pela Superintendência de Obras Públicas (Sucop), vinculada à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra). A iniciativa atende a uma demanda antiga da comunidade, que sofre com o abandono, a degradação e a insegurança de uma importante área ambiental da capital baiana.

 

Uma das principais líderes comunitárias do bairro, Elenice Velame agradeceu à administração municipal por reconhecer a luta dos moradores pela preservação do Parque da Lagoa dos Pássaros. “Agradecemos essa iniciativa da prefeitura de incentivar a ocupação dos espaços públicos. Essa lagoa é linda e tem uma fauna e flora muito grandes. Estudiosos do Instituto de Biologia da Ufba identificaram aqui uma árvore com 200 anos de existência. Temos aves migratórias que vêm todos os anos do Canadá, entre os meses de junho e agosto, fazer pouso aqui. No entanto, aqui só servia para rota de fuga de marginais, tráfico de drogas e moradores de rua. Lutar por essa área é uma questão de sobrevivência”, pontuou.

 

De acordo com o prefeito ACM Neto, o projeto de requalificação urbana faz parte da primeira etapa de implantação do parque e engloba adequação e cuidado com todo o paisagismo. “A segunda etapa é o desenvolvimento de uma série de atividades, inclusive educacionais, para garantir a preservação do local. Será aproveitado também esse espaço para desenvolver especialmente um estudo sobre os pássaros em nossa cidade. Vai ser um parque de grande utilização por toda a comunidade, numa demonstração clara do compromisso da gestão em investir no meio ambiente e preservar o patrimônio natural de Salvador”, relatou.

 

Novos espaços – O prefeito pontuou também que, até dezembro de 2020, a cidade receberá sete novos parques, incluindo o dos Ventos, na Boca do Rio, ao lado onde será construído o novo Centro de Convenções de Salvador.  Os demais são os parques Pedra de Xangô, em Cajazeiras X; Marinho da Barra, na Barra; da Ilha dos Frades e do Arraial do Retiro, nas localidades de mesmo nome; e a requalificação do Jardim Botânico, na Mata dos Oitis. “As ações vão dar um novo aspecto ao espaço urbano e garantindo mais qualidade de vida da população”, disse o gestor. A iniciativa faz parte do conjunto de ações do programa Salvador 360 – Cidade Sustentável.

 

O titular da Secretaria Cidade Sustentável e Inovação (Secis), André Fraga, lembrou que os novos parques estão presentes no PDDU de 2016, que criou mais de 19 milhões de metros quadrados de áreas protegidas. “Esse foi o primeiro passo para que parques e remanescentes de Mata Atlântica sejam preservados, ampliando o acesso do cidadão às áreas verdes de lazer soteropolitanas.”

 

Estrutura – A requalificação do Parque da Lagoa dos Pássaros envolverá a implantação de praça, espaço para contemplação, área de trilha e deques. A lagoa está situada numa região de vale e a reforma foi elaborada por solicitação e com a participação da comunidade local. Dentre as intervenções constam prioridade para a acessibilidade, recuperação e ampliação da pista de caminhada já existente, que passará a contar com piso de cimento.

 

Além disso, estão previstas a instalação de espaço para piquenique, praça de esportes com parque infantil, equipamentos para musculação e ginástica, espaço para capoeira, paraciclos e estacionamento via Rua Arthur de Azevedo. A reforma contempla ainda a edificação existente no local, que será utilizado para abrigar um posto de observação e uma sala multiuso voltada para atividades ligadas à preservação do meio ambiente, dentre outras intervenções.

 

 

Inserida no Plano de Desenvolvimento Urbano de Salvador (PDDU), o Parque da Lagoa dos Pássaros, localizada no Stiep, será totalmente reurbanizada pela Prefeitura. A ordem de serviço para o início imediato das obras no local foi assinada pelo prefeito ACM Neto nesta quinta-feira (12), acompanhado de gestores municipais e moradores. A intervenção será feita em uma área de 2,6 mil m², com investimento de quase R$825 mil e conclusão prevista para novembro deste ano. 

 

Todo o projeto de reestruturação do lugar foi desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) e as obras serão realizadas pela Superintendência de Obras Públicas (Sucop), vinculada à Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra). A iniciativa atende a uma demanda antiga da comunidade, que sofre com o abandono, a degradação e a insegurança de uma importante área ambiental da capital baiana.

 

Uma das principais líderes comunitárias do bairro, Elenice Velame agradeceu à administração municipal por reconhecer a luta dos moradores pela preservação do Parque da Lagoa dos Pássaros. “Agradecemos essa iniciativa da prefeitura de incentivar a ocupação dos espaços públicos. Essa lagoa é linda e tem uma fauna e flora muito grandes. Estudiosos do Instituto de Biologia da Ufba identificaram aqui uma árvore com 200 anos de existência. Temos aves migratórias que vêm todos os anos do Canadá, entre os meses de junho e agosto, fazer pouso aqui. No entanto, aqui só servia para rota de fuga de marginais, tráfico de drogas e moradores de rua. Lutar por essa área é uma questão de sobrevivência”, pontuou.

 

De acordo com o prefeito ACM Neto, o projeto de requalificação urbana faz parte da primeira etapa de implantação do parque e engloba adequação e cuidado com todo o paisagismo. “A segunda etapa é o desenvolvimento de uma série de atividades, inclusive educacionais, para garantir a preservação do local. Será aproveitado também esse espaço para desenvolver especialmente um estudo sobre os pássaros em nossa cidade. Vai ser um parque de grande utilização por toda a comunidade, numa demonstração clara do compromisso da gestão em investir no meio ambiente e preservar o patrimônio natural de Salvador”, relatou.

 

Novos espaços – O prefeito pontuou também que, até dezembro de 2020, a cidade receberá sete novos parques, incluindo o dos Ventos, na Boca do Rio, ao lado onde será construído o novo Centro de Convenções de Salvador.  Os demais são os parques Pedra de Xangô, em Cajazeiras X; Marinho da Barra, na Barra; da Ilha dos Frades e do Arraial do Retiro, nas localidades de mesmo nome; e a requalificação do Jardim Botânico, na Mata dos Oitis. “As ações vão dar um novo aspecto ao espaço urbano e garantindo mais qualidade de vida da população”, disse o gestor. A iniciativa faz parte do conjunto de ações do programa Salvador 360 – Cidade Sustentável.

 

O titular da Secretaria Cidade Sustentável e Inovação (Secis), André Fraga, lembrou que os novos parques estão presentes no PDDU de 2016, que criou mais de 19 milhões de metros quadrados de áreas protegidas. “Esse foi o primeiro passo para que parques e remanescentes de Mata Atlântica sejam preservados, ampliando o acesso do cidadão às áreas verdes de lazer soteropolitanas.”

 

Estrutura – A requalificação do Parque da Lagoa dos Pássaros envolverá a implantação de praça, espaço para contemplação, área de trilha e deques. A lagoa está situada numa região de vale e a reforma foi elaborada por solicitação e com a participação da comunidade local. Dentre as intervenções constam prioridade para a acessibilidade, recuperação e ampliação da pista de caminhada já existente, que passará a contar com piso de cimento.

 

Além disso, estão previstas a instalação de espaço para piquenique, praça de esportes com parque infantil, equipamentos para musculação e ginástica, espaço para capoeira, paraciclos e estacionamento via Rua Arthur de Azevedo. A reforma contempla ainda a edificação existente no local, que será utilizado para abrigar um posto de observação e uma sala multiuso voltada para atividades ligadas à preservação do meio ambiente, dentre outras intervenções.

 

0
0
0
s2sdefault