Quinta-Feira , 21 Setembro 2017

 

O programa Agentes da Educação deverá ser ampliado para todas as escolas da rede municipal de ensino de Salvador. A boa notícia foi dada pelo prefeito ACM Neto durante abertura da Jornada Transformadora, promovida pela ONG Parque Social nesta quarta-feira (17), no Hotel Fiesta, no Itaigara. O evento, que reuniu cerca de 700 participantes do Agentes da Educação e do projeto Jovem Aprendiz Empreendedor para avaliação das atividades, contou ainda com as presenças do vice-prefeito Bruno Reis; da diretora presidente do Parque Social, Rosário Magalhães; dos secretários Paloma Modesto (Educação), Thiago Dantas (Gestão) e João Roma (Gabinete), além do palestrante Leonardo Clément.

 

De acordo com o prefeito, atualmente 75% das escolas municipais são atendidas pelo projeto e a meta é chegar a 100% da rede.  Para isso, será ampliado o número de contratações para que todas as unidades tenham o próprio Agente da Educação. “Este é um projeto pioneiro em Salvador e no país e as escolas são acompanhadas pelos agentes, estudantes de Pedagogia que procuram entender porque a criança deixou a escola, se há algum problema familiar ou com a sala de aula. Isso já resultou em uma redução de 60% da evasão escolar. É um número muito expressivo para Salvador, inclusive com consequência direta no avanço do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) que a cidade teve no ano passado”, pontuou ACM Neto.

 

A diretora presidente do Parque Social salientou que, desde a implantação do projeto em 2015, já foram realizados mais de 18 mil atendimentos na escola e na residência dos alunos. Além disso, mais de 6 mil ações transversais foram realizadas nesse período – as atividades englobam palestras, oficinas, exposições, apresentações teatrais e demais iniciativas sociais e educacionais. “Isso representa o esforço da gestão pública pela melhoria da qualidade da Educação em Salvador”, destacou Rosário Magalhães.

 

O trabalho de Agente da Educação tem sido uma experiência gratificante para Cátia Santos, 40 anos, que atua na Escola Municipal Cristo Redentor, no Nordeste de Amaralina. “Colocamos os alunos para crescer, trazer para eles um novo mundo, acabar com a evasão escolar. O agente mostra para eles outras oportunidades, oferece atividades diversas que nunca tinham feito e aproxima a família da escola. Tem pais que falam sobre a preocupação da escola municipal em saber porque o aluno está faltando. Isso é muito importante”, relatou.

 

Funcionamento - Lançado em 2015 e desenvolvido de forma pioneira em Salvador, em parceria com a Secretaria Municipal da Educação (Smed), o programa Agentes da Educação promove a aproximação entre a família, escola e comunidade. São realizadas ações que possibilitam a participação dos familiares no ambiente escolar e o envolvimento na rotina estudantil, auxiliando-os no acompanhamento e apoio ao aprendizado dos alunos.

 

A atividade envolve 400 estudantes de Pedagogia que residem nas áreas de atuação do programa. A atuação ocorre em parceria com a direção, equipe pedagógica e demais integrantes da escola. Dentre as atividades realizadas estão o atendimento às famílias dos alunos na unidade de ensino; promoção de encontros entre familiares e alunos; mobilização da família e comunidade para ações voluntárias; acompanhamento do rendimento e comportamento escolar dos alunos; e visitas às famílias.

 

Empreendedorismo – Há quatro meses no Jovem Aprendiz Empreendedor, Vítor Alberto Costa, aluno do 3º semestre do curso de Engenharia de Produção e morador do Jardim Nova Esperança, contou empolgado sobre a participação no projeto. “É uma experiência muito humana. As pessoas do Parque Social e da secretaria onde atuo (Guarda Civil Municipal) têm uma atenção especial conosco. Não estamos ali apenas como um menor aprendiz para pegar cafezinho, mas aprendendo também digitalização, programação de computador. Nós temos realmente uma função profissional estabelecida.”

 

Já a experiência obtida no Jovem Aprendiz Empreendedor nos anos de 2015 e 2016 ajudou Nicolas Nunes, 18 anos e morador de Cosme de Farias, a conseguir atuar no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). “A participação na Smed e no Parque Social, pelo projeto, foi sem dúvida algo incrível na minha vida. Foi um divisor de águas, pois pude ampliar meus horizontes. Logo percebi um mundo grande lá fora me esperando e pude caminhar em direção a algo maior. Isso tudo graças ao projeto, que tem um cuidado muito grande conosco”, relatou.

 

O prefeito lembrou que o Jovem Aprendiz Empreendedor já ofereceu quase mil vagas a jovens entre 14 e 22 anos. “São jovens que têm, não apenas a oportunidade do primeiro emprego, de aprender as habilidades e se preparar para o mercado de trabalho, mas também a um aprendizado para a vida. Ficamos felizes porque muitos deles, que já concluíram o projeto, conseguiram mais facilmente se inserir no mercado de trabalho. É a Prefeitura investindo na Educação de uma maneira muito mais forte e de muita consistência.”

 

Histórico – Criado em 2013, o Jovem Aprendiz Empreendedor já beneficiou um total de 750 jovens e tem como principal objetivo auxiliar a inclusão no mercado de trabalho. Através da Secretaria Municipal de Gestão (Semge), a iniciativa envolve a capacitação de 300 jovens entre 14 e 24 anos de idade, estudantes ou egressos de escola pública, para exercerem a função de auxiliar administrativo nos diversos órgãos municipais.

 

Durante os 16 meses de atividades, os participantes recebem capacitação teórica e prática de 1.280 horas em auxiliar de escritório/administrativo para atuação durante quatro dias nos órgãos. Um dia na semana é reservado para a continuidade das capacitações teóricas no Parque Social. Os jovens ganham meio salário mínimo e têm a carteira assinada pelo contrato de trabalho por tempo determinado. A atividade conta com acompanhamento sistemático que passa pela capacitação e atuação na prática.