Quinta-Feira , 24 Maio 2018
0
0
0
s2sdefault

 

 

O tempo nublado e as chuvas fracas que caíram em Salvador nesta manhã de quinta-feira (11) não foram suficientes para desanimar a multidão de devotos que se formou na frente da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, para a tradicional Lavagem do Bonfim. Os festejos começaram por volta das 8h com um culto ecumênico na basílica, dando início às celebrações de católicos e do povo de santo ao Senhor do Bonfim e a Oxalá.

 

Após a largada do cortejo, os fiéis seguiram em cortejo por 8 quilômetros em direção à Igreja do Bonfim, na Colina Sagrada - é lá onde as baianas realizam a lavagem do adro do templo. Trata-se da principal festa religiosa da capital baiana, que mobiliza milhares de fiéis, entidades culturais, simpatizantes e turistas, para manifestações profano-religiosas.

 

A russa Daria Savina, 27 anos, saiu de Vladivostok, cidade perto do Japão, para curtir férias e fazer um curso de dança em Salvador. Ela não resistiu aos encantos do samba de roda, tocado por um grupo musical de Irará, ainda na frente da Igreja da Conceição.  “É a primeira vez que venho para cá no verão e participo da lavagem. Só tinha ouvido falar dela. A energia é boa! Gosto disso. Adoro dançar, é meu trabalho, minha vida”, disse Savina, que mostrou todo o seu gingado gringo ao ouvir o som dos instrumentos percussivos.

 

Diversidade - A diversidade religiosa e a variedade de manifestações culturais de fato fazem jus à tradição que Lavagem do Bonfim dissemina no estado afora. No meio do mar gente que se vestiu de branco para prestar homenagens aos santos, o ator Luciano Lobato, 39 anos, chamava atenção por estar  fantasiado de galo. O vestuário era feito de tecido e chegava a medir cerca de dois metros de altura.

 

“Tenho mais de 18 anos trabalhando de bonecão, sempre participando dessas manifestações. Às vezes saio de pica-pau, de super-homem, mas hoje vim de galo só para animar. Não sou devoto ao Senhor do Bonfim, mas gosto muito da lavagem, que é um momento onde pessoas de diversas religiões se reúnem para pedir paz, aquilo que estamos precisando”, pontuou ele, garantindo que vai até a Colina Sagrada trajado da ave.

 

Já o lavrador Antônio Carlos Tavares, 39, e a professora Rita Gomes, 53, saíram de Lustosa, em Teodoro Sampaio, a 103 km de Salvador, para conduzir o grupo Cara Pintada. Composto pelo boi bumbá, uma mulinha e por percussionistas, o bando seguiu o cortejo levando ritmos e manifestações presentes no interior baiano. “É a quarta vez que participamos da Lavagem. Somos um grupo de cultura bastante presente no São João da nossa cidade, e trouxemos a tradição de lá para aqui. Oro ao Senhor do Bonfim para que nos ajude sempre e nos livre de todo o mal. Inclusive, iremos até a Colina Sagrada para amarrar a fita no gradil”, revelou Rita.

 

A Lavagem do Bonfim neste ano tem o tema "Origem, identidade e missão do amado Jesus, Senhor do Bonfim". A programação em homenagem ao santo foi aberta com início de uma novena que segue até domingo (14), quando a Igreja do Bonfim receberá uma missa solene presidida pelo Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. 

0
0
0
s2sdefault