Terça-Feira , 22 Maio 2018
0
0
0
s2sdefault

Desde pequeno, Felipe Carvalho demonstrava a paixão pelo futebol. Fazia bolas com papel amassado e saía jogando pela casa. Quando ia dormir, levava a bola para perto dele na cama, segundo conta a avó Antônia Carvalho, 69 anos. Hoje, aos 15 anos, ele está tendo a oportunidade de praticar a atividade no clube do time que tanto gosta: o Esporte Clube Vitória. O garoto é só talento e sonha em, um dia, seguir os passos do craque Neymar. 

Como Felipe, outras 300 crianças e adolescentes fazem parte da equipe recreativa que se divide entre modalidades como basquete, futsal, futevôlei e futebol feminino, atividades praticadas em quadras e campos de futebol da sede do Vitória, no bairro de Canabrava. As aulas ocorrem segunda e quarta à tarde, e terça e quinta pela manhã. 

Chamada de Clube Social, a iniciativa é fruto de um convênio firmado em 2016 entre a Prefeitura e diversas associações esportivas de Salvador. Em um ano e sete meses, cerca de 2 mil crianças e adolescentes passaram pelos clubes sociais conveniados. Além do Vitória, o convênio abrange outras nove associações: Centro Espanhol, Clube Bahiano de Tênis, Clube dos Empregados da Petrobras, Associação Atlética da Bahia, Associação Cultural e Esportiva Braskem, Paranapanema, Yacht Clube da Bahia, Costa Verde Tênis Clube e Esporte Clube Bahia. 

Quem participa tem acesso às modalidades esportivas oferecidas recebe transporte, lanche e uniforme, como suporte para permanecer nas atividades. Ao todo, são disponibilizadas 653 vagas, das quais restam 70 para preenchimento. O público-alvo é pessoas com idade entre sete e 18 anos (exceto para atividades específicas). O projeto é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Trabalho, Esportes e Lazer (Semtel) e conta com a parceria da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). 

A Semps fica responsável por encaminhar pessoas referenciadas nos Centros de Referência e Assistência Social (Cras) para os clubes conveniados. Famílias em situação de vulnerabilidade social e econômica têm prioridade de acesso, o que contribui para o aumento da inclusão social e da qualidade de vida dos atendidos. Para o titular da Semtel, Geraldo Júnior, a abertura dos clubes possibilita um novo futuro e uma nova visão de mundo para as famílias. “São crianças e adolescentes que moram em bairros carentes de equipamentos esportivos e que, graças ao projeto, passam a acreditar em seus sonhos”, afirma. 

Talento – Entre tantos garotos, uma menina chama atenção na sede do Vitória pela habilidade com a bola. Julia Gabriele Conceição, 12 anos, trocou o campinho de areia do bairro de São Marcos, onde jogava todos os dias, pela quadra de futsal equipada e com a presença indispensável de um educador físico, durante as segundas e quartas. Graças à desenvoltura, que arranca elogios do professor, ela disputa partidas com meninos e costuma levar vantagem. “O futebol é minha paixão. Estou sempre jogando, seja aqui, no colégio ou no bairro onde moro. Me inspiro em Marta, quero ser como ela no futuro”, diz. 

Inscrições – Quem tem interesse em participar deve ir à Diretoria de Esportes da Semtel, de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h e das 14h às 17h. É necessário levar original e cópia do RG ou certidão de nascimento, comprovante de residência, atestado de escolaridade, atestado médico e RG do responsável. O órgão está situado na Ladeira do Boqueirão, 1, no Santo Antônio Além do Carmo. 

Os clubes sociais de caráter desportivo e cultural que incentivam a prática esportiva têm desconto no IPTU. Em contrapartida, as entidades devem disponibilizar vagas para 400 horas por ano, no mínimo, e permitir acesso às aulas e equipamentos.

 

 

0
0
0
s2sdefault