Segunda-Feira , 18 Junho 2018
0
0
0
s2sdefault

A Prefeitura e o Consórcio BRT Salvador lançaram hoje (08) canais de comunicação direta para o esclarecimento de dúvidas sobre as obras. O consórcio disponibilizou dois telefones: a Linha Ética e a Ouvidoria, através dos números 0800 880 1887 e 0800 880 1809, que funcionam das 8h às 18h. A Prefeitura também pode ser contactada através do Fala Salvador, no 156.  

Ontem (07) à noite, representantes da Prefeitura e do Consórcio BRT tiraram as dúvidas sobre o projeto de moradores da Polêmica, comunidade localizada na região de Brotas, perto da Avenida ACM, por onde o novo modal irá circular no trecho um. Vários questionamentos foram levantados e esclarecidos. O evento contou ainda com a apresentação de uma animação sobre como irá funcionar o BRT, preparada pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura (Secom), além da distribuição de panfletos informativos.  

O encontro foi mediado pelo prefeito-bairro da região do Centro, Ian Mariani. Estiveram presentes, além da comunidade, representantes técnicos do Consórcio BRT, da Secretaria de Mobilidade (Semob) e da Ouvidoria Geral do Município (OGM). "Ouvir a comunidade é o principal objetivo dessa reunião, além de explicar como vai funcionar o projeto, aproximar a população da proposta e expor as informações para que haja total envolvimento no processo", destacou Mariani.  

Animada com os benefícios urbanísticos e as facilidades para deslocamento após a conclusão do trecho, a estudante de fisioterapia Ana Paula Oliveira, que há quase 40 anos mora na localidade, afirmou que as transformações ocasionadas pelo BRT irão possibilitar maior qualidade de vida aos moradores. Isso porque as pessoas vão passar menos tempo em deslocamento.   

A facilidade em completar o trajeto que tem início na rodoviária e termina na Estação da Lapa em 16 minutos foi uma das questões que chamou a atenção da estudante. "O tempo que a gente perde no trânsito hoje é grande. Depois do BRT, a gente vai ganhar para viver, aproveitar a família. Eu tenho uma filha de 23 anos que me cobra atenção, já que chego sempre tarde por conta do transporte público. Futuramente serei avó e preciso estar perto deles", explicou.

 

0
0
0
s2sdefault