Terça-Feira , 23 Julho 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Valter Pontes - SECOM

A restauração e modernização de dois imóveis vizinhos à Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, que darão lugar a um espaço de eventos e de atividades comunitárias da irmandade do templo religioso, é mais uma iniciativa importante dentro do conjunto de ações de revitalização do patrimônio que estão sendo promovidas no Centro Histórico de Salvador. A afirmação foi feita pelo prefeito ACM Neto, durante cerimônia de entrega das obras realizada nesta quarta-feira (19).

Promovidas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), as obras tiveram investimento de mais de R$14 milhões, através do PAC Cidades Históricas, e contou com apoio da Prefeitura. “O espaço ficou extraordinário e vem reforçar ainda mais esse novo momento do Centro Histórico de Salvador, de valorização e retomada da presença de atividade econômica, que é algo muito importante. A Igreja da Conceição da Praia é uma das mais importantes e tradicionais da cidade e que fica ainda mais valorizada com esse cerimonial”, destacou o prefeito.

Na ocasião, também estiveram presentes a presidente do Iphan, Kátia Bogéa; o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Bruno Reis; o arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger; demais autoridades municipais e estaduais, representantes da Irmandade Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia e imprensa.

O prefeito lembrou que, dentro do conjunto de R$300 milhões em investimentos promovidos pela Prefeitura no Centro Histórico, muitas contam com a parceria do Iphan. No momento, estão em obras o Elevador do Taboão, os Arcos da Ladeira da Montanha, Avenida Sete, Rua Miguel Calmon e praças Castro Alves, Cairu e da Inglaterra. Em breve, serão iniciadas as obras das muralhas do frontispício e já foram entregues o Terreiro de Jesus e a praça da Inglaterra.

“Em pouco tempo, a perspectiva de valorização e reconhecimento do patrimônio histórico de Salvador vai ser ainda mais destacada. Não adianta só a requalificação urbana, mas é fundamental também que tenhamos produtos, como espaços como este da Conceição da Praia e os museus que serão implantados, da Música Brasileira e da História de Salvador; as atividades profissionais, a exemplo da decisão de que 80% dos órgãos estejam funcionando no Centro Histórico até 2020; e o lançamento em breve de um programa habitacional voltado para a região. A soma de tudo isso vai dar uma perspectiva de efetiva sustentabilidade para esta área fundamental da cidade”, completou ACM Neto.

Recuperação do patrimônio – A presidente do Iphan agradeceu a parceria de entidades como a Prefeitura nas ações de recuperação do patrimônio histórico e que o momento é um marco. “Em recente encontro no Rio de Janeiro, levamos as intervenções feitas na Bahia, a exemplo da Conceição da Praia, como um modelo de sustentabilidade. A gente não pode apenas restaurar os monumentos sem dar sustentabilidade a eles. O que está se fazendo hoje é permitir que a irmandade possa administrar o espaço e conseguir os recursos necessários para a preservação do local”, ressaltou Kátia Bogéa.

Através do PAC Cidades Históricas, estão sendo realizadas diversas ações de recuperação do patrimônio histórico em Salvador. Dentre elas está a entrega da Casa do Carnaval, ocorrida no ano passado, no Pelourinho, e das obras para instalação da futura sede da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e da área técnica do Espaço Cultural da Barroquinha, em frente à Praça Castro Alves.

Com projeto do Iphan e recursos municipais, estão em obras dois importantes pontos históricos da cidade: o Elevador do Taboão, paralisado há mais de cinco décadas e que fazia a ligação das cidades Alta e Baixa, no Comércio, e a recuperação dos Arcos da Ladeira da Montanha, no Centro, com investimento total de cerca de R$7,5 milhões. Em breve, deverá ser iniciada a obra de recuperação da muralha do frontispício, entre a Praça Castro Alves e a Ladeira da Misericórdia.

0
0
0
s2sdefault