Terça-Feira , 23 Julho 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Jefferson Peixoto - SECOM

A implantação de hortas urbanas e escolares em Salvador tem gerado um impacto positivo na relação da comunidade com o bairro. Desde 2016, a Prefeitura, através da Secretaria de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), já realizou a instalação de 34 dessas hortas – sendo uma delas, no Residencial das Margaridas, acessível às pessoas portadoras de deficiência (PCD) ou mobilidade reduzida.

Nestes equipamentos, além de transformar áreas que antes eram degradadas em espaços mais agradáveis, há o incentivo do cultivo orgânico de hortaliças, ervas medicinais ou outras opções que melhor se adaptem à realidade do local. Além da Secis, qualquer grupo interessado pode construir uma horta. É bem simples, como demonstra este passo-a-passo:

Planejamento: Organize um grupo de trabalho com as pessoas da comunidade, separe utensílios e ferramentas como enxadas, carrinhos de mão, regadores, sementeiras e luvas.

Escolher: Opte por um local plano que esteja próximo da moradia dos participantes, que seja ensolarado na maior parte do dia, de fácil acesso, com oferta de água e que fique afastado de construções que possam fazer sombra nas plantas. Além disso, ele deve dispor de áreas produtivas e outros equipamentos, a exemplo de uma caixa d'água. Uma outra exigência em relação ao espaço é que ele deve ficar longe de árvores, para evitar competição por nutrientes do solo.

Preparar: Cerque o terreno para impedir que animais entrem, limpe a área escolhida para retirar todos os resíduos, roce e capine todo o terreno. Demarque os canteiros e locais de plantio, revolva a terra até 25 cm de profundidade e, por fim, quebre todos os torrões existentes com a enxada.

Proteger: Os ventos podem prejudicar o plantio. Para evitar qualquer incidente do tipo é aconselhável que se instale barreiras em posições estratégicas, os chamados quebra-ventos. Algumas espécies podem servir como quebra-vento, dentre elas o cajueiro, o milho, o abacateiro ou o guandu.

O que plantar: É importante selecionar as hortaliças que serão plantadas considerando as características do clima, do solo e da oferta de água do local. Cada espécie se adapta melhor a um clima, caso contrário, doenças e pragas podem se desenvolver. Opte por plantar uma diversidade de vegetais como folhosas, frutíferas e raízes. Não é aconselhável o plantio contínuo de uma só espécie;

Plantio: Certas espécies de hortaliças precisam passar pelo processo de germinação em sementeiras antes de serem plantadas em canteiros definitivos. É o caso do alface, da cebola e do couve – sendo assim, bandejas de isopor ou caixotes podem ser utilizadas como sementeira. Outras como o alho, a cenoura, o quiabo e a melancia podem ser plantadas diretamente em canteiros. Sempre fique atento à distância de um vegetal para o outro quando plantar diretamente no canteiro.

Regar: O horário de irrigação deve ser nas primeiras horas do dia ou final de tarde, assim se evita a perda de água por evaporação comum em horários mais quentes. Em épocas mais frias, não se deve regar ao final do dia por conta de possíveis fungos. Regue com água de boa qualidade, livre de impurezas e odores.

Adubar: Para hortas caseiras, recomenda-se o uso de adubo orgânico para fornecer nutrientes necessários às plantas. Nos locais onde serão construídos os canteiros, deve-se espalhar 20 litros de adubo orgânico por metro quadrado. Já em locais pontuais de plantio, é aconselhável que se aplique cinco litros de matéria orgânica, misturada com terra, até 20 a 25 cm de profundidade.

Controlar as pragas: Para que o plantio renda uma boa colheita é essencial que algumas precauções sejam tomadas em relação ao controle de pragas. Convém lembrar que não se deve utilizar agrotóxicos em área urbana. Uma boa ideia é, antes do plantio, cobrir o solo com plástico transparente durante o período de maior intensidade do sol. O leite fresco e caldas e preparos podem fazer um bom serviço também.

 

0
0
0
s2sdefault