Sexta-Feira , 15 Novembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Jefferson Peixoto - SECOM

Com a pequena Maiane nos braços, a dona de casa Naiara Nascimento, 27 anos, ouvia atentamente os ensinamentos sobre a importância da amamentação. A atenção se dividia entre a palestra da nutricionista da Coordenadoria de Segurança Alimentar e Nutricional (Cosan), Ione da França, e a recém-nascida de pouco mais de dois meses. Naiara e outras 50 mulheres participaram da atividade desenvolvida pelo Projeto Amamentar Sempre, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre), nesta terça-feira (6), no Centro de Referência da Assistência Social (Cras), em Paripe.

As explanações serão realizadas ao longo de todo mês em várias unidades municipais e integram o Agosto Dourado, mês em alusão a amamentação e que tem os seus primeiros dias dedicados à Semana Mundial do Aleitamento Materno, período instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). “É importante porque a gente aprende mais e mais a como cuidar melhor do nosso bebê”, comentou Maiane. Ela fez questão de dar o testemunho e contou que, embora tenha passado por dificuldades para amamentar nos primeiros dias do nascimento da filha, não desistiu.

“O leite era pouquinho, mas sabia que mesmo assim precisa oferecer o peito a ela. Ela chorava e eu também. Foi uma fase e depois o leite passou a jorrar”, lembrou, acrescentando orgulhosa que a pequena se alimenta exclusivamente do leite materno. 

Durante a palestra, a nutricionista destacou os benefícios do aleitamento. “É importante para o bebê e para a mãe. Envolvem as questões nutricionais, é um alimento completo. Além disso, é econômico e fortalece os vínculos afetivos”, afirmou Ione.

Noções práticas – Quem passou pela unidade, além de assistir a palestra, obteve informações sobre a prática sobre manejo da amamentação como a posição, pega, ordenha manual, conhecimento sobre o comportamento normal do lactente amamentado, número de mamadas ao dia, duração das mamadas e prejuízos associados ao uso de mamadeiras e chupetas.

As noções práticas foram de grande valia para a gestante de 25 semanas, Joselita Soares, 40 anos. “Resolvi ser mãe tarde, mas mesmo assim vou aprender tudo. Estou aqui prestando bastante atenção para fazer tudo certinho quando meu bebê chegar”, disse.

A secretária da Sempre, Ana Paula Matos, fez questão de ressaltar que o aleitamento, como fonte única de alimentação até os seis meses de vida do bebê, é fundamental para garantir a proteção para todas as doenças e bactérias. “Às vezes aquele chá ou água pode prejudicar o bebê. Estamos aqui para tirar todas as dúvidas e ensinar a fazerem a ordenha e guardar o leite em casa quando precisarem voltar ao trabalho. Sabemos que no começo pode ser difícil, mas estamos aqui para ajudar”, frisou. 

O projeto Amamentar Sempre será desenvolvido de forma continuada e permanente pela Cosan, dada a importância da amamentação para a nutrição, prevenção de doenças a curto e longo prazos, fortalecimento de vínculo mãe-filho e economia familiar.  

 

0
0
0
s2sdefault