Domingo , 08 Dezembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Max Haack/Secom

O prefeito ACM Neto vistoriou, nesta terça-feira (1º), as obras da nova sede da Fundação Gregório de Mattos (FGM), que passará a funcionar na Ladeira da Barroquinha, no Centro, num complexo que abrigará diversos espaços culturais e será denominado de Quarteirão das Artes.

As intervenções estão em fase de acabamento e envolvem a estrutura do antigo Hotel Castro Alves e de mais três sobrados anexos. Além do prefeito, participaram da vistoria o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, Bruno Reis, o presidente FGM, Fernando Guerreiro, e o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional na Bahia (Iphan), Bruno Tavares.

Previsto para ser inaugurado na próxima segunda (7), o complexo cultural sediará muito mais do que a nova estrutura administrativa da FGM, que vai deixar de funcionar na Rua Chile. O conjunto abrigará o Espaço Cultural Boca de Brasa, com duas salas de ensaio, um café-teatro e sala multiuso, que poderá funcionar como auditório e para reuniões do Conselho Municipal de Políticas Culturais e do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural.

Tudo isso fará parte de um “corredor” que se complementará com outros espaços culturais já tradicionais do entorno, como o Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha, o Espaço Cultural Barroquinha e o Teatro Gregório de Mattos. Executadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia do Ministério da Cidadania, as obras somam R$ 8,9 milhões em investimentos do governo federal e mais R$ 1,5 milhão da Prefeitura na desapropriação dos imóveis.

“Estamos nos preparativos finais para entrega de mais um espaço cultural importantíssimo para a cidade, especialmente para o nosso Centro Histórico. É a Prefeitura investindo cada vez mais na cultura, arte e na história, preservando e garantindo a transformação para toda região”, salientou o prefeito.

Parceria - Já Bruno Tavares destacou a parceria entre o Iphan e a Prefeitura para preservação do Centro Histórico. “Foram cerca de dois anos de obras. Essas intervenções vão dinamizar a localidade, trazendo mais vida aqui a essa área da Barroquinha, que infelizmente sofre com degradação. Mas as intervenções que o Iphan e a Prefeitura vêm promovendo na região pode mudar todo esse cenário, mantendo os espaços que existem e dando dinâmica a outros”.

O presidente da FGM, Fernando Guerreiro, concordou que a implantação do Quarteirão das Artes contribuirá para essa dinamização. “Vamos ter aqui um número inédito de equipamentos culturais não apenas em Salvador como em todo o estado”.

0
0
0
s2sdefault