Sexta-Feira , 15 Novembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Quatro estudantes do 4º ano da Escola Municipal Nova do Bairro da Paz foram medalhistas de prata e bronze na XXII Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) de 2019. Realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) em parceria com a Agência Espacial Brasileira (AEB), a OBA envolve alunos de todos os anos do ensino fundamental e médio, em todo território nacional.   

O objetivo é fomentar o interesse dos jovens pela Astronomia, Astronáutica e ciências afins, promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa, mobilizando alunos, professores, coordenadores pedagógicos, diretores, pais, bem como instituições voltadas às atividades aeroespaciais. 

Para os alunos do ensino fundamental, a olimpíada não funciona como uma gincana, mas sim com a aplicação de uma prova, em data definida pela organização. A ideia de inscrever a unidade de ensino na olimpíada partiu da professora Josefa Rosimeire Lima, que explica como foi a preparação dos estudantes para a avaliação, que ocorreu em maio.  

“As aulas foram realizadas duas vezes por semana, totalizando quatro horas de aulas extras, nas quais conseguimos articular com os conhecimentos de outras disciplinas. Essa interlocução com a matemática foi através dos cálculos sobre os anos de estudos da astronomia; português, por meio da leitura; história, ao buscarmos contextos históricos da astronomia e seus pensadores, e tudo isso durou uma média de três meses”, diz. 

A docente conta ainda com a colaboração do professor de física formado pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) Jorge Lucio Rodrigues que fez questão de elogiar o desempenho dos estudantes. “Estamos falando de crianças com idades entre 8 e 9 anos, que são bastante ativos e demoram a se concentrar. No entanto, fomos surpreendidos com o envolvimento deles na olimpíada. Uma prova como esta, realizada em todo o país, envolvendo escolas públicas e privadas, termos quatro medalhistas é algo fantástico. É muito difícil uma escola num primeiro ano de participação, ter um alto nível como o que foi atingido aqui. É, de fato, surpreendente”. 

Os quatro alunos, que foram condecorados em solenidade realizada na escola com a participação dos familiares, obtiveram nota acima de 9,0. Foram eles: Maria Luiza Ferreira Santana (prata), Salmo de Jesus Santos (prata), Fabrício Gabriel Souza Lima (bronze) e Raquel Jesus pinheiro (bronze).  Os demais participantes receberam certificados de participação, assim como os professores envolvidos no processo, a direção e a própria unidade escolar. 

Lutadora de Jiu Jitsu com uma coleção de 9 medalhas, a aluna Maria Luiza Ferreira Santana, de 8 anos, levou mais uma de prata para coleção. No entanto, assim como no tatame, ela diz ter ficado ansiosa para fazer o exame. “A professora orientou pra gente ficar bem tranquila, mas mesmo assim fiquei tensa. No começo eu achei difícil, mas depois que eu criei confiança, ficou mais fácil de resolver as questões de astronáutica e astronomia. Gostei muito da premiação e estou muito feliz, porque todo mundo aqui da escola se esforçou bastante pra fazer a prova”, destaca. 

Já a gestora da unidade de emsomp, Jurema Macedo, aponta que foi uma honra ver os alunos exibindo suas medalhas. “Quando a professora nos trouxe essa proposta, a princípio eu tomei um susto, mas tudo foi muito bem organizado e hoje estou muito grata, orgulhosa e feliz em ver a participação da família privilegiando seus filhos e isso não tem preço”, enfatiza. 

Emocionada, a estudante Raquel Jesus Pinheiro diz que não esperava a premiação. “Eu fiquei muito feliz e surpresa ao saber que receberia a medalha. Nunca esperei por isso e agora só quero agradecer a Deus por tudo que está acontecendo hoje. Ano que vem quero participar de novo”, sintetiza.

0
0
0
s2sdefault