Sábado , 14 Dezembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Foto: Divulgação

Equipes da Prefeitura estão atuando para atender as famílias que sofrem com um alagamento na comunidade conhecida como Terracom, em Valéria, próximo à BR-324. Mais uma vez, a Defesa Civil de Salvador (Codesal) e técnicos da Secretaria Municipal de Manutenção (Seman) constataram que o alagamento se deve à provável obstrução de trechos de seções de galerias utilizadas para a passagem das águas do riacho sob a rodovia. Por conta disso, a água ainda não baixou, mesmo sem chuva.

 Apesar da questão ser da responsabilidade da concessionária Via Bahia e da Embasa, a Prefeitura, além de prestar auxílio às famílias, estuda uma solução para o problema por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop). Em função da inércia em agir, a Via Bahia será, inclusive, notificada pela Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) pela segunda vez este ano e pelo mesmo motivo, já que o trecho é de responsabilidade da empresa, conforme contrato de concessão com a União.

Até o momento, 127 moradores foram cadastrados e recebem todo apoio institucional da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre). A Defesa Civil emitiu um laudo coletivo sobre a situação das residências inundadas. A partir de agora, a Sempre vai cadastrar individualmente cada família para a concessão do Auxílio Emergência, que oferece até três salários mínimos para quem perdeu bens em função de desastres.

A secretária da Sempre, Ana Paula Matos, esteve na localidade pela tarde ao lado do diretor-geral da Defesa Civil, Sosthenes Macêdo, e dos titulares da Seman, Virgílio Daltro, e das Prefeituras-Bairro, Luiz Galvão, entre outras autoridades municipais e representantes da Via Bahia e da Embasa. De acordo com a Sempre, os moradores optaram por não dormir no Centro Municipal de Educação Infantil João Paulo I, escola localizada na região, e se dirigiram as casas de parentes ou amigos.

Kits - Ainda nesta quinta-feira (28), foram entregues colchões, kits de higiene, toalhas, cobertores e cestas-básicas para os moradores da comunidade. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) também esteve presente na localidade, ofertando vacinas e acompanhamento individualizado a cada uma dessas pessoas. Uma equipe multidisciplinar com três médicos, dois enfermeiros e três técnicos de enfermagem já cadastrou 41 famílias, totalizando pelo menos 200 atendimentos de saúde.

Responsabilidade - Na manhã de hoje, o prefeito ACM Neto responsabilizou a Via Bahia e a Embasa pelos constantes alagamentos e transtornos causados à população da comunidade de Terracom. “A Via Bahia, que já foi autuada este ano pela Prefeitura, simplesmente não faz a manutenção periódica das tubulações que passam pela região de domínio, em Valéria, e a Embasa reduziu o calibre de um duto, diminuindo consideravelmente a vazão da água”, afirmou ACM Neto.

O prefeito disse também que vai denunciar as duas empresas à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e Ministério da Infraestrutura. “A população de Valéria e de outros bairros vizinhos e os milhares de motoristas que passam pelo local diariamente não podem sofrer mais com a omissão da Via Bahia e da Embasa. Enquanto as duas empresas trocam acusações e não fazem as obras necessárias para eliminar os alagamentos, a população enfrenta muitos transtornos. Essa situação traz riscos à saúde, segurança e bem-estar dos moradores”.

0
0
0
s2sdefault