Quinta-Feira , 28 Maio 2020
0
0
0
s2sdefault

Foto: Valter Pontes - SECOM

Pancadas de chuva, dias mais quentes, oscilação de temperatura e até chuva de granizo. Essas são algumas das mudanças de clima que a população de Salvador já tem percebido. Com o objetivo de tornar a cidade mais resiliente às mudanças climáticas, a partir da próxima quarta-feira (15), às 13h30, no Teatro Gregório de Mattos, começam as atividades de elaboração do Plano de Mitigação e Adaptação às Mudanças do Clima em Salvador, parte integrante da Estratégia de Resiliência lançada pela Prefeitura, em março de 2019.

O evento terá a participação do renomado cientista e climatologista brasileiro Carlos Nobre, um dos membros da equipe de consultores para o documento. O evento é aberto ao público e as inscrições para o encontro podem ser feitas pelo link http:// bit. ly/ oficina15 . Também acontecerão reuniões técnicas paralelas para instituições convidadas. O calendário com os demais eventos que serão realizados ao longo do ano será divulgado posteriormente.

Com execução prevista para nove meses, o plano tem, além de todo o arcabouço técnico e institucional, uma estratégia de comunicação e mobilização de atores locais diversos: sociedade civil, órgãos públicos, empresas e técnicos especializados. O sucesso da ação está diretamente relacionada ao envolvimento da população soteropolitana. Ao todo serão realizados 15 eventos voltados para divulgação de informações e engajamento.

Ao longo dos últimos anos, a cidade tem buscado desenvolver mecanismos e estratégias para prevenir e reagir às alterações climáticas e ficar cada vez mais perto de cumprir as metas do Acordo de Paris, que cria compromissos locais e globais para mitigação e adaptação climática, além de metas para a redução da emissão de gases do efeito estufa. O desenvolvimento do Plano de Mitigação e Adaptação à Mudança do Clima coloca a capital baiana em posição de referência entre as principais cidades do mundo e reforça o papel central dos municípios como território para ação e implementação da agenda climática.

Construção – O plano será desenvolvido por um consórcio formado pela WayCarbon, ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e a ONG internacional WWF, além de uma equipe de consultores e do apoio local da Aganju Sustentabilidade. Os recursos são do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), através do Prodetur, e do Grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima.

"É um orgulho poder contribuir com um projeto que irá impactar positivamente quase 3 milhões de pessoas, apoiando tecnicamente a elaboração de políticas públicas e a tomada de decisão para construção de uma Salvador resiliente e de baixo carbono", enfatiza Henrique Pereira, CEO da WayCarbon. A gestão de todo o trabalho fica por conta da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), em cumprimento à Estratégia de Resiliência da capital baiana.

“Salvador foi a primeira cidade da América Latina e Caribe a assumir compromissos voluntários para desenvolver ações de combate à crise climática, integrando o Pacto Global de Prefeitos pelo Clima e Energia. O início dos trabalhos para a construção do Plano de Mitigação e Adaptação da Mudança do Clima é uma etapa importante de planejando da cidade, que mira as metas do Acordo de Paris e demonstra que um governo local tem papel importante nessa agenda global”, explica o titular da Secis André Fraga.

0
0
0
s2sdefault