Quarta-Feira , 30 Setembro 2020
0
0
0
s2sdefault

 

 

Muito mais do que apenas um lugar para compra de produtos alimentícios e artesanato, o Mercado Municipal de Cajazeiras está de cara nova sob um novo conceito e formato multifuncional. O equipamento, localizado na Avenida Engenheiro Raimundo Carlos Nery, em Cajazeiras X, foi entregue pelo prefeito ACM Neto nesta quinta-feira (10), após passar por requalificação depois do incêndio de 2017, que destruiu o andar superior. 

 

As intervenções garantem mais conforto, serviços novos e, consequentemente, ampliação do movimento no mercado, o que era uma demanda dos comerciantes. Entre as novidades é que a estrutura passa a contar com a sede da Prefeitura-Bairro de Cajazeiras, que antes funcionava em imóvel alugado, e o Espaço Cultural Boca de Brasa.


Com área de aproximadamente 4 mil m², o mercado possui dois pavimentos e conta com critérios de acessibilidade para permitir a locomoção de pessoas com deficiência. No térreo, é onde se encontram 69 boxes para comércio diversos produtos: há ótica, floricultura, cosméticos, chaveiro, artigos de moda e itens típicos da culinária baiana. No primeiro andar, foi implantado o projeto Boca de Brasa e a Prefeitura-Bairro. Para a reforma estrutural, o município investiu R$ 3,5 milhões.

 

“Em 2015, inauguramos este mercado, que se tratava de uma antiga reivindicação da comunidade e comerciantes. No entanto, depois aconteceu o lamentável episódio do incêndio, em 2017, e tivemos que fazer a interdição do equipamento. Compreendemos que era preciso transformá-lo em um espaço multiuso, dando novas funcionalidades e casando atividades comerciais e serviços por parte da Prefeitura”, disse ACM Neto, que participou da inauguração ao lado do titular da Secretaria Municipal de Ordem Pública, Marcus Passos/.

 

O prefeito destacou que a implantação do primeiro teatro público da região, através do projeto Boca de Brasa, é um gesto de reconhecimento à força cultural da comunidade do entorno. O espaço, no entanto, não abrirá para o público nesse primeiro momento, em função do fechamento dos teatros e cinemas da cidade por conta da pandemia do coronavírus. “Esperamos que, em poucos dias, com todos os cuidados e protocolos, possamos retomar as atividades culturais nesses locais”, frisou.

 

Capacidade - O Espaço Cultural Boca de Brasa Cajazeiras possui capacidade para 220 pessoas e é equipado com equipamentos de som, iluminação cênica, projeção e tecnologia de ponta. O teatro possibilitará apresentações de espetáculos, exibições de filmes, além de fomentar a iniciação e a formação artística e impulsionar o cenário cultural local.  

 

A partir de amanhã (11), haverá uma programação virtual do Boca de Brasa, que poderá ser conferida nas redes sociais do projeto, mediante solicitação do link, através do whatsapp 98313-9500.

 

Serviços ao cidadão – Com a entrega da nova sede da Prefeitura-Bairro de Cajazeiras, os cidadãos poderão buscar, mais perto de casa, serviços como marcação de consulta, confecção do cartão do SUS, farmácia popular, entre outras atividades. 

 

“Hoje em Cajazeiras passa a funcionar essa nova sede da Prefeitura-Bairro, com todos os cuidados para conter a disseminação do coronavírus. Há marcação de distanciamento no chão, locais de entrada e saída únicas, além de ter a ocupação limitada de uma pessoa a cada nove metros quadrados”, reforçou o ACM Neto. Ele também lembrou o quanto as unidades administrativas facilitaram a vida da população, por meio da descentralização administrativa.

 

Desde que foram implementadas, as 10 Prefeituras-Bairro de Salvador (Centro/Brotas, Subúrbio/Ilhas, Cajazeiras, Itapuã, Valéria, Cidade Baixa, Barra/Pituba, Cabula/Tancredo Neves, Pau da Lima e Liberdade/São Caetano) somam nove milhões de atendimentos realizados.

 

Camelódromo - Durante a entrega do novo Mercado de Cajazeiras, ACM Neto autorizou a construção de um camelódromo na Rótula da Feirinha. O espaço terá 450 metros quadrados e abrigará comerciantes informais, beneficiando os feirantes que comercializam produtos de hortifrúti na localidade. A estimativa é que o espaço seja entregue ainda este ano.

 

“Inicialmente, tínhamos a ideia de tirar os feirantes da Rótula na Feirinha para que eles fossem alocados para o Mercado Municipal, mas não funcionou. Entendemos que não é o caminho forçar a saída desses trabalhadores, que são pais e mães de família e que estão lutando para levar o ganha-pão para dentro de casa”, explicou ACM Neto.

 

“Por isso, vamos fazer o ordenamento daquela área, desobstruindo as calçadas para que elas fiquem livres para os pedestres. A Rótula da Feirinha será uma espécie de mercado livre, voltado para a comercialização de hortifrúti. Não haverá concorrência com os produtos que são comercializados no Mercado Municipal. Pelo contrário, os dois equipamentos se complementarão”, acrescentou o chefe do Executivo municipal.

 

0
0
0
s2sdefault