Terça-Feira , 19 Setembro 2017

 

O cheiro de camarão defumado chega como entrada, com inhame cozido em rodelas, farofa, tomate, cebola e pimentão cortados em cubos, acrescentando um pouco de maionese. Depois de cozidas, as rodelas de inhame estão prontas para serem servidas com o patê de camarão, aumentando a expectativa pelo prato principal. Segredo guardado pela chefe Ana Célia (Zanzibar), que prefere revelar o prato principal no dia do evento, nesta terça-feira (11), na Casa do Benin, onde acontece a Oficina de Gastronomia Afrobaiana, das 14h às 17h, com inscrição gratuita, na hora e no local, a depender da lotação de sala. 

 

Ana Célia, que atua como chefe de cozinha há 38 anos e já participa da Oficina de Culinária Afrobaiana pela terceira vez, convida o público a participar do evento. “Vai ser uma experiência muito prazerosa, além de ser uma oportunidade para que todos possam conhecer uma culinária diferente e aprender a fazer novos pratos. Quero muito que as pessoas venham conhecer a culinária africana e que aprendam como se faz. A comida africana não é igual a comida baiana, que contém bastante dendê. A comida africana é mais saudável, conta com banana da terra, inhame, verduras e legumes”, relata.

 

Das 17h às 21h, a Casa promove o Ajeum Sonoro, mostra gastronômica com música, ao som do Coletivo Crokant (DJ Mauro Telefunksoul, DJ Lenadro e DJ Raiz). O evento é gratuito, mas quem quiser apreciar o saboroso cardápio montado especialmente por Ana Célia pagará a taxa de R$ 20, com direito a entrada, prato principal e sobremesa.