Quinta-Feira , 14 Dezembro 2017

 

Neste mês, é celebrado o Dia Nacional do Documentário Brasileiro. Em Salvador, uma iniciativa realizada em parceria entre a Prefeitura, por meio da Fundação Gregório de Mattos (FGM) e a Agência Nacional de Cinema (Ancine) tem ajudado a apoiar a produção audiovisual na cidade. É o edital Arte na TV – Ano II que, em 2017, recebeu 78 propostas – quase 68% a mais do que o registrado no primeiro edital, lançado em 2014, quando atraiu 46 projetos.

 

O Arte na TV visa financiar obras de audiovisual feitas por produção independente, com finalidade comercial e destinadas a exibição inicial em televisão. No Ano II, o edital vai destinar R$ 2,25 milhões, contra R$1,5 milhão disponibilizado em 2014. O número e a variedade de projetos também aumentaram. No Ano I do projeto, foram quatro selecionados em dois gêneros: Documentário e Ficção. Na segunda edição, serão sete projetos beneficiados em três gêneros - Animação, Ficção Infanto-juvenil e Documentário.

 

Do total de inscritos, a maior procura foi justamente para o gênero Documentário, com 49 propostas, seguida de Animação, com 18, e Ficção, com 11 projetos. “Os números mostram um claro crescimento do edital e da demanda do setor por financiamento. De 2014 para cá, percebemos que há mais gente criando e se preparando para as oportunidades de realizar as próprias obras. O boom não é só da criatividade, mas também da diversidade de produtos. Por isso, a FGM decidiu por um edital que, por meio da comercialização e distribuição das produções, possa dar mais visibilidade ao audiovisual baiano e que contribua para a própria sustentabilidade a longo prazo”, disse o presidente da fundação, Fernando Guerreiro.

 

Em entendimento com representantes do setor do audiovisual baiano, a FGM definiu por um apoio que otimize a comercialização e distribuição das produções, atendendo aos critérios e parâmetros da Ancine. A intenção é de que os novos beneficiados sejam conhecidos até o dia 3 de outubro deste ano.

 

Em breve – Os projetos selecionados em 2014 estão em fase final de produção. Uma delas é da área de Ficção e contou com investimento de R$600 mil. “TaBuh!”, da Doc Filmes, é uma série infantil de aventura que conta, na primeira temporada, com quatro episódios de 26 minutos cada, em média. A proposta da série é apresentar, com leveza e humor, temas considerados tabu para se tratar com crianças, como morte, sexo e sexualidade, preconceito racial e drogas. Realismo fantástico e vida real se misturam para compor os episódios, que trazem crianças como protagonistas e Salvador, com a diversidade das paisagens naturais e humanas da cidade.

 

As outras três propostas são documentários que receberam, cada um, até R$300 mil em recursos. “Culturama”, da produtora Cavalo do Cão, é uma obra seriada documental com cinco episódios que utiliza os formatos reality show e documentário. O programa convidará artistas para produzirem obras com tempo, tema e verba limitados. O processo criativo de cada artista será acompanhado, durante todo o dia, pela equipe do programa. Ao final, as obras serão avaliadas por jurados.

 

Já “O Samba que mora aqui”, produzida pela Caranguejeira Comunicação e Produção Auviosual, retrata, em quatro episódios, a roda de samba em Salvador e como ela continua a ser produzida em sua essência. É um diálogo entre a tradição e o presente, ajudando a formatar um ideal de baianidade a partir da música e desse importante ritual festivo.

 

Por fim, “Saberes passados”, da Liberato Produções Culturais, registra, também em quatro episódios, a relação entre mestre e aprendiz na preservação da ancestralidade e na perpetuação de manifestações culturais afrobrasileiras em Salvador/BA. Através de quatro personagens, sinaliza a importância da oralidade na relação entre quem ensina e quem aprende para que a tradição torne-se um legado.