Quinta-Feira , 14 Dezembro 2017

 

O primeiro passo para facilitar o acesso de empreendedores informais de Salvador ao microcrédito foi dado na terça-feira (8), com a assinatura de um protocolo de intenções entre a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), e o Banco do Nordeste. A iniciativa ocorreu na sede da Semps, no Comércio, e contou com a participação de gestores e técnicos dos órgãos. A estimativa é de que o projeto seja iniciado ainda este mês, nas unidades dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras).

 

O objetivo do protocolo é firmar acordo de cooperação técnica para acesso ao programa Crediamigo. Com a medida, será possível a realização do projeto Família Empreendedora, que visa estimular iniciativas empreendedoras por parte de pessoas e famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico), assistidas pelos Cras e Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas) e abrigados nas Unidades de Acolhimento Institucional. O resultado será a autonomia socioeconômica das famílias.

 

Durante a reunião, foram apresentados os objetivos e linhas de ação do projeto Família Empreendedora e o perfil das famílias cadastradas no Cadastro Único – só em Salvador são cerca de 340 mil famílias cadastradas. Pelo CadÚnico, são identificadas as famílias de baixa renda, que seleciona as mesmas para acessar programas e benefícios socioassistenciais ofertados pelos governos federal, estaduais e municipais. Os dados norteiam a elaboração de políticas públicas de promoção social. 

 

A secretária da Semps, Tia Eron, explicou a motivação para essa inciativa com o Banco do Nordeste. “Com os dados do Cadastro Único, observamos as pessoas que demandam por este atendimento e identificamos um público majoritariamente formado por mulheres, beneficiárias de programas socioassistenciais como o Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida. É necessário promover uma assistência social emancipatória, que não fique apenas gerenciando pobreza. Precisamos romper este ciclo. É neste sentido que o Banco do Nordeste vem nos apoiar, para que os indivíduos saiam na situação de vulnerabilidade em que estão.”

 

O superintendente do Banco do Nordeste na Bahia, Antônio Jorge Pontes, destacou que a instituição, atualmente, é o maior operador de microcrédito produtivo orientado da América Latina. “Estamos aqui com a intenção de ofertar a esta parcela da população uma porta de saída da pobreza, ao dar-lhes condições para que possam se emancipar economicamente. Alguns números nos surpreendem positivamente, no sentido da demanda que podemos atender e do público que pode ser alcançado com o nosso programa de microcrédito”, pontuou.