Segunda-Feira , 15 Outubro 2018
0
0
0
s2sdefault

Pais, tios, avós, primos, muitos são os familiares que já correram para comprar presentes que serão entregues durante o Dia das Crianças, comemorado nesta sexta-feira (12). Mas para além da empolgação com a data, é preciso também que haja atenção redobrada no momento da compra de brinquedos, tipo favorito de presente para a criançada. É o que explica a pediatra Maria Conceição Bacelar, médica do Multicentro de Saúde Carlos Gomes, da Prefeitura. 

A especialista orienta que, no momento da compra do brinquedo, os responsáveis fiquem atentos à presença do selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que garante a qualidade e segurança do produto; a legislação obriga a apresentação do selo de certificação do instituto. "A compra deve ser sempre feita no mercado formal, porque, no informal, não terá segurança. O produto pode estar sem o selo de Inmetro, ou ter o selo falsificado. Isso, inclusive, traz segurança legal para a família, caso o brinquedo cause algum problema", diz. 

Conferir a faixa etária indicada para o uso do brinquedo também é outra atenção que os responsáveis por essas crianças devem ter. "Nos preocupamos muito com as crianças abaixo de três anos, porque elas não tem noção de risco. Se não houver cuidados, essa criança pode pôr qualquer coisa pequena na boca, nariz, ouvido...", afirma a pediatra. Segundo Maria da Conceição, colocar pequenos brinquedos na boca é uma das principais causas de acidente com esse público-alvo. 

"A criança toma um susto e aspira [o brinquedo]. Esse é o grande risco. Tem que estar sempre atento para as manobras necessárias. Os pais devem ter noção disso. Piscou, a criança coloca o brinquedo na boca e engasga", orienta a profissional. 

Engoliu. E agora? - A pediatra Maria da Conceição explica que, caso os responsáveis percebam algum sinal de engasgamento com um brinquedo nas crianças abaixo de um ano, acidente comum entre as crianças, é necessário que sejam feitas manobras urgentes para a retirada do produto. "Desconfiou, a criança começou a ficar 'inchadinha': coloca a criança no seu colo, de cabeça pra baixo - a cabeça um pouco abaixo dos pés, dá cinco tapas fortes, com a mão fechada, na região do tórax. Caso não funcione, comprima o abdômen, abaixo do tórax, um pouco acima do umbigo e dê contração fortes na região", explica. 

No caso de crianças maiores, a recomendação da especialista é tentar a retirada do brinquedo da forma mais popular, como também é utilizada em adultos. "Pegar pela pelas costas, abraça o tronco, segura uma mão na outra, pelo pulso, e dá cinco compressões na mesma região. Isso irá aumentar a pressão do abdômen e tórax, e a pessoa cospe o brinquedo fora", orienta. 

Outro tipo de acidente muito recorrente entre as crianças, segundo Maria da Conceição, é a ingestão de pequenas baterias dos brinquedos elétricos. "Nesse caso, ela tem que ser tirada o mais rápido possível, porque ela [bateria] tem corrosivos. Se você demora algumas horas, a bateria rompe e as substâncias correm o trato digestivo e podem causar uma série de problemas", explica. 

Operação Brinquedo Seguro - A Prefeitura prossegue, até a quinta-feira (11), com a Operação Brinquedo Seguro em diversas lojas de brinquedos do grande comércio popular do centro de Salvador. A ação é realizada pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), por meio da Diretoria de Ações de Proteção de Defesa do Consumidor (Codecon), e faz parte da segunda etapa da Operação Criança Segura.  

Durante as vistorias, foram verificados se os brinquedos apresentavam as informações em português com as instruções, recomendações de riscos e cuidados, além da faixa etária e a presença do selo do Inmetro. Pela legislação, é obrigatório o produto apresentar o selo de certificação do instituto. 

 Somente na segunda-feira (8), primeiro dia da operação, 17 lojas de brinquedos na Avenida Sete foram fiscalizadas. Do total, três foram autuadas pela falta do selo do Inmetro. Além disso, cerca de 151 brinquedos como espada plástica, bonecas, revólveres, cavalinhos e bolas sonoras foram apreendidos.

0
0
0
s2sdefault