Segunda-Feira , 16 Dezembro 2019
0
0
0
s2sdefault

Cinco escolas municipais de Salvador participam da exposição itinerante “Nas Trilhas da Cidadania”. A estreia da mostra começa na Escola Municipal Pituaçu, nesta segunda-feira (4). Pelo menos 50 fotografias produzidas pelos alunos estarão expostas e disponíveis a apreciação. 

O projeto envolve mais de 600 estudantes da capital baiana, Palmas (TO), Santa Bárbara d’Oeste (SP) e Vitória (ES). Com uma câmera na mão e muita criatividade, os estudantes foram desafiados a expressar suas próprias histórias e a registrar as ações voluntárias desenvolvidas em suas comunidades escolares ao longo do ano. 

Desses registros fotográficos nasceu a exposição que revela como o trabalho voluntário está impactando a vida e os valores dos estudantes que participam do projeto, criado pela ONG Parceiros Voluntários há 16 anos, em parceria com as prefeituras locais.

Para Melissa Costa de Jesus, aluna da Escola Municipal de Pituaçu, integrante de um grupo que projetou ações na Trilha da Educação para a Paz, a experiência oportunizou aprendizado e reflexão. “Fizemos cartazes e palestras falando sobre bullying, além de uma apresentação de dança. Espero que muita gente tenha aprendido e visto que não é bom praticar bullying”, contou a estudante. 

O projeto proporcionou integração e estimulou a autonomia dos alunos, ampliando horizontes. É a avaliação da professora Iracema Paixão dos Santos, da Escola Municipal de Pituaçu, para quem a participação nas Trilhas fez com que os alunos refletissem sobre questões importantes da escola e da sociedade. 

“Pensar sobre bullying, devastação versus preservação ambiental e outros temas ligados à cultura da paz, que andamos tão carentes, foi incrível. As possibilidades que os alunos construíram, conheceram e descobriram proporcionou um amadurecimento dessas questões, principalmente pensando no ponto de vista da autonomia”, comemorou a educadora.  

Liderança - Na primeira etapa do projeto em Salvador, os estudantes participaram da capacitação “Desenvolvimento de Lideranças Juvenis”. A proposta é estimular o pensamento crítico sobre os seus relacionamentos, a influência das redes sociais, as expectativas de futuro, o mundo que deseja e também ensinar como fazer planejamento de ações que transformem o contexto escolar e a comunidade onde vivem. 

Com base neste planejamento desenvolvido pelos alunos, eles escolheram uma ou mais Trilhas para trabalhar  – Educação Para a Paz, Meio Ambiente e Cultura. Além dos alunos, o projeto busca também mobilizar toda a comunidade escolar – equipe diretiva, professores e familiares – por meio do curso de “Qualificação de Educadores para Participação Social e Mobilização Juvenil”.

O principal objetivo da ação de mobilização social é estimular o protagonismo infantojuvenil por meio do voluntariado, empreendedorismo e da educação em valores éticos e de cidadania. “Nas oficinas, os jovens tiveram a oportunidade de explorar as possibilidades do exercício da fotografia e utilizar esse recurso para praticar a observação e o reconhecimento de suas identidades. Por meio das narrativas da imagem, eles expressam iniciativas pensadas por eles para trazerem benefícios ao seu universo escolar”, diz José Alfredo Nahas, superintendente da ONG Parceiros Voluntários. 

O projeto recebe investimento por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal com o apoio financeiro do Facebook (Palmas, Salvador e Vitória) e da Denso Brasil (Santa Barbara d’Oeste). Confira a programação nas escolas municipais:

11 de novembro – Escola Municipal D. Arlete Magalhães, Rua Vitorino Alvez Moitinho – Castelo Branco

18 de novembro – Escola Municipal Fazenda Coutos, Alameda Almirante Marques de Leão – Fazenda Coutos

25 de novembro – Escola Municipal da Palestina, Rua da Palestina – Palestina

02 de dezembro – Escola Municipal de Ilha de Maré, Rua Caeira – Praia Grande – Ilha de Maré

 

0
0
0
s2sdefault