Terça-Feira , 11 Agosto 2020
0
0
0
s2sdefault

Para garantir que os alunos da rede municipal de ensino tenham ainda mais recursos para continuar os estudos com o menor impacto negativo possível da pandemia, a Secretaria Municipal de Educação (Smed) realiza, desde a semana passada, a entrega dos chips para dispositivos móveis aos alunos. No total, serão beneficiados com o material 33 mil alunos de 101 escolas de Salvador que cursam o Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e a Educação de Jovens e Adultos (EJA II).

O chip ofertado vem com pacote dados contratado, e permite acesso exclusivo ao aplicativo Escola Mais, que disponibiliza aulas ao vivo aos estudantes no período matutino e, pela tarde, a possibilidade da interação de alunos e professores para esclarecimento de dúvidas.

A expectativa é que a distribuição seja finalizada na próxima semana, conforme calendário estabelecido por cada escola, de modo a não gerar aglomeração. De acordo com o chefe de gabinete da Smed, Frederico Wegelin, a proposta é que os alunos mantenham a rotina de estudos e o vínculo escolar para que não tenham seu aprendizado prejudicado e de modo que a evasão não cresça no período pós-pandemia.

"A pandemia vai naturalmente aumentar ainda mais a desigualdade social no Brasil. Nossa tentativa é de fazer com que o aluno tenha o máximo de acesso a conteúdos pedagógicos de qualidade. Salvador melhorou muito mas ainda é uma cidade pobre e nem todos tem acesso a internet", pontuou.

Os estudantes que não têm disponibilidade de aparelho de telefonia móvel para usufruir do chip podem assistir às aulas sem prejuízo através do conteúdo veiculado nos multicanais 4.2 e 4.3. Este recurso é mais uma das estratégias da pasta para auxiliar os alunos, e que tem como diferencial a facilidade de acesso aos aparelhos televisivos. Além disso, as duplas gestoras das escolas receberam tablets junto com os chips como subsídio para efetuar a gestão da plataforma Escola Mais e dos estudantes.

Assim, os gestores mantêm o contato direto com as famílias e efetuam o acompanhamento do desempenho dos alunos com precisão. Para o pós-pandemia, há a expectativa de que os estudantes permaneçam com pacote de dados ativo, a depender do cenário, para que tenham acesso a materiais de estudo complementares. Inicialmente, a Prefeitura poderá fazer uso até dezembro, gratuitamente, do aplicativo Escola Mais, e o contrato com a operadora que fornece os chips é de um ano.

 

0
0
0
s2sdefault