Quarta-Feira , 30 Setembro 2020
0
0
0
s2sdefault

A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) registrou, no último fim de semana, a maior taxa de circulação de veículos em um domingo, desde o início da pandemia do novo coronavírus. Ontem (02), segundo a autarquia municipal, o fluxo de automóveis na capital foi de 84% - ou seja, diferença de apenas 16% se comparado ao mesmo dia da semana antes da crise sanitária, que começou em março. O índice é calculado através de uma comparação com a média de fluxo de trânsito normal na cidade, quando não há interferência de festas, feriados ou datas comemorativas. 

A aferição é feita por 183 equipamentos eletrônicos – radares e fotossensores - distribuídos em diversas vias da cidade. “Nas últimas semanas, temos percebido fluxo maior de pessoas nas ruas. Acredito que, depois de mais de quatro meses de restrições, as pessoas acabam tendo a ideia de que podem flexibilizar. Contudo, é preciso que todos tenham consciência e saiam de casa apenas quando necessário, mantendo-se longe de aglomeração”, pontua o superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller. 

Desde o início do isolamento social no município, a menor taxa de circulação de veículos ocorreu em 21 de abril (feriado de Tiradentes), ocasião em que apenas 44% dos carros circularam nas ruas. 

Ônibus - De acordo com a Secretaria de Mobilidade (Semob), Salvador atualmente está com 57% de passageiros a menos sendo transportados nos ônibus na cidade. Há pouco mais de 1,5 mil veículos em operação, o que corresponde a 70% da frota, para atender cerca de 500 mil pessoas. O registro é feito pelo órgão através da bilhetagem eletrônica. 

Segundo o titular da Semob, Fábio Mota, o fluxo é considerado alto. “Se observarmos que estamos com bares, restaurante e escolas fechados, não é um número satisfatório. O que mais nos espanta nesse momento é que nesse período de pandemia temos mais idosos fazendo viagem do que antes. Faço apelo para que a população só saia de casa se for necessário, afinal, estamos mantendo a frota para que não haja descontinuidade dos serviços essenciais”. 

Antes da pandemia, o Sistema de Transporte Coletivo por Ônibus operava com 100% da frota (2.212 veículos) e atendia 1,3 milhão de pessoas diariamente. Desde que a primeira fase de retomada das atividades foi iniciada, no último dia 24 de julho - envolveu a reabertura e atendimento presencial de shopping centers e grandes lojas em horário reduzido ao período normal -, o quantitativo de ônibus municipal foi ampliado de maneira gradativa até chegar aos atuais 70%. A ação foi uma das estratégias da Semob para prevenção da circulação do coronavírus na cidade, evitando eventuais lotações dos carros. 

Quando tiver início a fase dois de retomada - que contempla reabertura de academias de ginástica, barbearias, salões de beleza, centros culturais, museus e galerias de arte, lanchonetes, bares e restaurantes -, a frota de ônibus vai aumentar para  80%, isto é, 1.770 coletivos rodando no município.

 

0
0
0
s2sdefault