Logo Prefeitura de Salvador

Secretaria de Manutenção divulga balanço de atividades de 2023; confira números e serviços

Foto: Lucas Moura / Secom PMS

A Secretaria Municipal de Manutenção da Cidade (Seman) da Prefeitura de Salvador divulgou o balanço de suas atividades referente a 2023, com ações de desobstrução e manutenção dos sistemas de drenagem entre as principais medidas. Com a limpeza de caixas coletoras, jateamento de galerias e reposição de grelhas, a pasta ajudou a restaurar a capacidade de vazão das redes, totalizando mais de 337 mil metros de desobstrução, 12.426 metros de recuperação e limpeza de mais de 20 mil unidades de caixas e dispositivos de drenagem.

A limpeza e dragagem de canais foi uma atividade rotineira para manter as condições hidráulicas da malha de macrodrenagem, prevenindo consequências das chuvas. No ano passado, foram dragados canais e córregos em uma extensão total de 38 mil metros, sendo o mês de abril o período com maior intensidade, com dragagem de 5.835 metros.

Na requalificação de escadarias, a Seman integrou programas como o “Degrau Legal” e “Salvador Bairro a Bairro”. As intervenções envolveram a substituição de estruturas em argamassa armada por dispositivos tradicionais em quase 15 mil metros de escadarias. Houve ainda intervenções na microdrenagem para a manutenção de calçadas públicas, totalizando 6.578,29 m² de calçadas conservadas. Já a manutenção de pavimentos poliédricos e rígidos abrangeu a recuperação de quase 15 mil m² de pavimentos, incluindo áreas com pisos irregulares e pavimentação asfáltica.

Durante a operação “Tapa Buraco”, foram aplicadas quase 140 mil toneladas de massa asfáltica (CBUQ) ao longo do ano passado, com o objetivo de prolongar a vida útil dos pavimentos.

Na manutenção de áreas verdes, a secretaria realizou 65.521 serviços de poda de árvores, 2.566 serviços de supressão de árvores e 778 serviços de remoção de galhos caídos, contribuindo para a sobrevivência da vegetação e segurança da população.

O secretário municipal de Manutenção, Lázaro Jezler Filho, ressaltou a relevância das ações da pasta, ao destacar que toda a infraestrutura implantada nos últimos anos em Salvador depende da manutenção. “O trabalho, obras e ações realizadas nos últimos anos em Salvador não teriam o menor sentido se não houvesse a manutenção. Então a importância das ações desempenhadas pela Seman é resguardar, manter e conservar tudo o que foi feito, e também agir preventivamente, evitando situações e problemas que possam dificultar a dinâmica e o bom andamento de Salvador”, declarou.

Avenida Centenário ganha novas áreas de lazer e esporte; mais de 300 mudas de árvores foram plantadas

Foto: Valter Pontes / Secom PMS

A Prefeitura de Salvador entregou na noite desta sexta-feira (24) as obras de recuperação e manutenção da Avenida Centenário, na região da Barra. O prefeito Bruno Reis participou da inauguração e percorreu a pé toda a extensão do canteiro central da via, desde a Roça da Sabina até a região do IBIT, área que recebeu equipamentos de lazer e de convivência que não existiam anteriormente.

O projeto foi elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) e os serviços foram executados pela Secretaria de Manutenção (Seman). Agora, a Centenário conta com três parques infantis com equipamentos fabricados pela Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal) e um ‘dog park’ – espaço para atividades com cachorros. Para quem gosta de esportes ao ar livre, a área ganhou três quadras, uma ciclovia com mais de 2,2 km de extensão e uma pista de corrida ou caminhada de 3 km.

A área de quase 40 mil metros quadrados também ganhou dois quiosques para comércio local, academias de saúde e equipamentos de ginástica ao ar livre e calistenia. Um mini palco que existe no local foi ampliado e conservado, assim como dois módulos sanitários que atendem trabalhadores do local e duas quadras de pétanque – esporte peculiar que é muito praticado pela comunidade local e que tem a Centenário como ponto de referência.

O prefeito Bruno Reis destacou que os equipamentos foram instalados conforme pedidos dos moradores. “A obra ficou belíssima, com equipamentos que não existiam antes. Ouvimos a comunidade e as suas demandas. Procuramos saber o que eles mais gostariam de fazer aqui. As crianças, por exemplo, não tinham uma área de lazer, como parquinhos, e agora terão. A Centenário vai atender todo mundo, desde a Roça da Sabina, passando pelo Calabar, até o IBIT. Essas intervenções visam melhorar a qualidade de vida das pessoas e elevar a autoestima da nossa população, para que a gente tenha cada vez mais amor e mais paixão por Salvador”, disse.

A moradora Deni Oliveira, de 56 anos, celebrou a obra: “Foi a melhor coisa para as crianças brincarem, porque antigamente não tinha espaço nenhum. Agora, vão poder aproveitar no parquinho. Vamos também poder caminhar, fazer atividade física. Acho que melhorou muito, estava precisando mesmo. Eu vim para cá com meu menino. Ele viu as crianças brincando e trouxe ele para brincar também”, contou.

O prefeito se emocionou durante a caminhada. “De lá para cá eu vim andando e me lembrando de quantas vezes eu andava, subia e descia nessa Centenário, quando era criança. Foi o Calabar, foi o Parque São Paulo, que me deu régua e compasso. Me deu meus princípios, meus valores. Que me formou como o homem que sou hoje. Eu jogava bola aqui tomando topada. Essas crianças agora vão jogar bola num campo de grama sintética. Eu passei aqui hoje de manhã e vi o ponto em que eu pegava ônibus, e agora está com nosso novo padrão”, discursou.

Titular da Seman, Lázaro Jezler lembrou que a Centenário carecia de equipamentos de lazer. “O prefeito Bruno Reis determinou que a nossa secretaria fizesse uma série de manutenções gerais em grandes avenidas, e a Centenário é uma das mais importantes da cidade. Ela estava precisando de equipamentos que atendessem melhor à comunidade”, disse.

Área verde – A Centenário recebeu paisagismo com irrigação que envolve 40 mil m² de grama e 125 palmeiras, entre dendezeiros, olicuris, licuriobas e jerivás. Através da Secretaria de Sustentabilidade, Resiliência e Bem-Estar e Proteção Animal (Secis), a Prefeitura trabalhou também a arborização urbana do local.

Foram plantadas mais de 300 árvores ao longo da área requalificada, todas espécies do bioma Mata Atlântica, como ipês amarelo, roxo e branco, aroeira, jacarandá, pau-ferro e sibipiruna. Esses plantios de árvores realizado na cidade acontecem em alinhamento com o Manual Técnico de Arborização Urbana de Salvador.

Reportagem: Joice Pinho e Vitor Villar / Secom PMS

Projeto Novo Mané Dendê realiza primeira oficina de compostagem

Foto: Ascom Seinfra

O projeto Novo Mané Dendê, através do seu Programa de Educação Ambiental (PEA), realizou nesta sexta-feira (20), no auditório do Colégio Estadual Clériston Andrade, no bairro de Itacaranha, a primeira oficina de compostagem. A técnica é conhecida como o processo de reciclagem do lixo orgânico que transforma a matéria orgânica encontrada no lixo em adubo natural.

A atividade que deu o pontapé inicial ao Projeto Piloto Composteira é uma parceria do Novo Mané Dendê com a Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb). A oficina foi realizada para os agentes de saúde e combate às endemias e contou com uma dinâmica em grupo entre os participantes. Durante a ação, foi explicado sobre a importância da reutilização dos resíduos, com ênfase aos resíduos orgânicos.

Os profissionais aprenderam sobre o que é a compostagem, como funciona, e as técnicas de reciclagem do resíduo orgânico, transformando a matéria orgânica em adubo natural, que pode ser usado na agricultura, em jardins e plantas, substituindo o uso de produtos químicos.

Para Edson Santos, agente comunitário de saúde do bairro de Alto da Terezinha, a experiência foi extremamente significativa. “Foi muito importante a oficina. Só veio a agregar ao meu conhecimento profissional. Vou levar para comunidade uma visão diferenciada, uma visão em favor do meio ambiente”, destacou.

Cronograma – Serão realizadas mais 12 oficinas com os participantes dos núcleos âncoras do Programa de Educação Ambiental nos próximos meses. Este compromisso do Projeto Novo Mané Dendê faz parte de uma série de atividades pedagógicas, que permite aos moradores experimentação, troca e reflexão coletiva.

“O fomento à compostagem, com as oficinas e o uso das composteiras domésticas, contribuirá para a valorização do resíduo orgânico, permitindo o uso de adubo rico em nutrientes e reduzindo o volume de resíduos destinados ao aterro sanitário de Salvador.”, afirmou Danilo Sobrinho, gerente ambiental do projeto.

PEA e o Novo Mané Dendê – O programa do projeto Novo Mané Dendê tem como objetivo contribuir, sensibilizar e ampliar o conhecimento ambiental dos moradores da Bacia Hidrográfica do Rio Mané Dendê, desenvolvendo rodas de conversa e uma escuta ativa nas comunidades, buscando despertar mudança de pensamento, comportamento que favorecem diretamente a melhoria de vida das comunidades do Subúrbio. Os bairros contemplados pelo projeto são Alto da Terezinha, Itacaranha, Ilha Amarela, Plataforma e Rio Sena.

O Novo Mané Dendê corresponde à primeira etapa do Programa de Saneamento Ambiental e Urbanização do Subúrbio de Salvador, com intervenções nas localidades do Alto da Terezinha, Itacaranha, Ilha Amarela, Plataforma e Rio Sena. O objetivo é contribuir para o bem-estar econômico e a qualidade de vida da população da Bacia do Rio Mané Dendê, nas esferas econômica, social e de saúde, através da melhoria sustentável das condições socioambientais e de urbanização.

Texto: Ascom Seinfra

Prefeitura realiza serviços de drenagem e recapeamento na Feira de São Joaquim

Foto: Lucas Moura / Secom PMS

A Prefeitura de Salvador iniciou serviços de drenagem, recapeamento e manutenção na Feira de São Joaquim. Maior feira livre da Bahia, o centro comercial a céu aberto está localizado em Água de Meninos, na Cidade Baixa, e abriga 1,2 mil feirantes espalhados por seus becos e vielas. Atendendo a pedidos dos comerciantes e como parte das comemorações ao Dia da Feirante (25 de agosto), a Secretaria de Articulação Comunitária e Prefeitura-Bairro (SACPB), a Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman) e o Distrito Cultural do Centro Histórico estão realizando melhorias no local.

Os serviços como troca do asfalto, recapeamento, recuperação e manutenção dos dispositivos de drenagem têm feito a diferença nas vidas dos trabalhadores que há décadas utilizam o espaço para garantir o sustento de suas famílias. Feirante há 40 anos, Manoel da Lapa Lisboa, 67 anos, viu seu box receber asfalto novo na última semana.

“Nós precisávamos desses serviços que estão sendo feitos aqui, porque há muito tempo ninguém olhava para nós. Temos uma feira com extensão extraordinária, aqui é um mundo, você roda e acha tudo”, diz. Segundo o comerciante, antes da chegada dos serviços da Prefeitura a situação estava bem delicada. “Bastava uma chuvinha e já estava tudo alagado, cheio de lama. A rede de esgoto entupida provocava um caos. Mas tudo tem mudado e só temos a agradecer e comemorar”, frisou Lisboa, elogiando a troca das grades das bocas de lobo que também faz parte das intervenções de drenagem.

No local, estão sendo realizados serviços de microdrenagem que incluem a limpeza manual e hidrojateamento mecânico da rede e dispositivos do sistema de drenagem (caixas de sarjeta “bocas de lobo” / poços de visita “bueiros”). Além disso, técnicos tem feito a substituição de trechos de rede danificados de elementos condutores (manilhas/tubos) das galerias pluviais, com reposição de grelhas, tampas e tampões. De acordo com o secretário da Seman, Lázaro Jezler, as equipes técnicas entendem as particularidades da Feira de São Joaquim. Segundo o gestor, as medidas executadas visam resolver necessidades antigas do espaço que sempre foi gerido pelo poder público estadual.

“Temos trabalhado para resolver problemas seculares para evitar transtornos provenientes da chuva. O que está sendo feito aqui é feito em toda a cidade. Lembrar que o setor de drenagem executou a limpeza de aproximadamente cinco mil caixas de sarjeta e a desobstrução de rede em mais de oitenta mil metros de galerias no último ano”, disse.

Satisfação – O asfaltamento renovado e as melhorias no sistema de esgotamento também beneficiaram o feirante e proprietário da Loja Comercial Barros, Alex Barros, que há 25 anos mantém o comércio na Feira de São Joaquim. “Fizeram um trabalho perfeito na rua em que a gente trabalha, estamos muito satisfeitos e agradecemos demais. Sofremos muito com isso no inverno e graças a Deus e a Prefeitura o cenário está mudando. Está uma beleza”, elogia, chamando atenção para a melhoria no forte odor que sempre tomou conta do local. “Com as melhorias de drenagem até o fedor melhorou”, destaca.

Erivaldo Rodrigues dos Santos, mais conhecido como “Babau”, tem 45 dos seus 60 anos trabalhando no local. Administrador da feira desde 1982, o feirante afirma que o espaço nunca foi tão bem cuidado como agora. “Eu não digo que eu estou pisando em ouro, mas eu já estou pisando em prata. Foi um trabalho excelente com toda essa equipe que mostrou o seu bom serviço cuidando da nossa feira”, disse.

De acordo com o gestor do espaço, há muitos anos os feirantes clamam por serviços públicos dentro da feira. “Limpou o sistema de drenagem, melhorou até o cheiro do esgoto. Antes ficava tudo bloqueado, ficava acumulado, aquele cheiro forte. Estamos realmente felizes e satisfeitos com o olhar diferenciado para a feira de São Joaquim”, revelou Babau.

Feira do Curtume trará estrutura e conforto para feirantes e frequentadores 

Fotos: Lucas Moura/Secom PMS 

Situada na Rua Luiz Maria, na Cidade Baixa, a Feira do Curtume já está com 90% das obras de construção concluídas e previsão de entrega para até o final de setembro. Na região conhecida como Baixa do Fiscal, onde feirantes improvisavam barracas com lonas e caixotes para a venda de hortifrutigranjeiro, a Prefeitura de Salvador está construindo um equipamento que dará mais conforto e ordenamento para os trabalhadores, atendendo a um desejo antigo da categoria. 

A estrutura de 3 mil m² contempla um espaço para a alocação de 112 barracas, praça de alimentação com oito boxes para a comercialização de bebidas, refeições e lanches, além de sanitários, sala de administração, área para carga e descarga de mercadorias, depósito, guarita, abrigo para resíduos e estacionamento com 20 vagas. A área passou ainda por serviços de contenção em alvenaria de pedra, sistema de drenagem, gradil e paisagismo, com implantação de grama natural e arborização.  

A feira vai contar com cobertura para a proteção do sol e da chuva, mas as laterais permanecerão abertas para a ventilação e conforto térmico dos feirantes. A área interna do equipamento foi construída com piso de alta resistência e a externa, com piso intertravado para uma boa impermeabilidade do solo, evitando poças e alagamentos. Com a inauguração da feira, a expectativa é que o local funcione de terça-feira a sábado. 

O investimento na obra é de R$5,2 milhões. As intervenções são coordenadas pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) e estão sendo executadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop).  

Expectativas – Feirante há mais de cinco décadas no local, Ovídio Ribeiro, 63 anos, espera que a estrutura traga melhorias para ele e para os colegas. “A Feira do Curtume é recheada de tudo. Eu trabalho com inhame, batata, farinha, banana e ovos de quintal, produtos naturais e de qualidade. É um ofício que vai sendo passado de geração em geração, do meu avô para o meu pai e do meu pai para mim. Eu acho a reforma boa, está ficando bonito e chique, com vários sanitários. Agora é esperar ficar pronto para ver como vai ficar a organização”, opinou.  

Frequentadora do local, a costureira Elianai dos Santos, de 60 anos, também espera por mudanças. “Aqui era feio antes, não tinha segurança e nem estrutura para os frequentadores, como banheiro. Uma colega minha vendia almoço aqui, então eu frequentei algumas vezes. Acredito que com a obra, vai melhorar bastante”. 

Reportagem: Priscila Machado/Secom PMS

Prefeitura de Salvador inicia urbanização de canal com construção de praças e escadarias em Sete de Abril

Foto: Betto Jr. / Secom PMS

A Prefeitura de Salvador deu início nesta sexta-feira (25) à urbanização do Canal da Fronteira, situado nas imediações da Rua José Bonifácio, em Sete de Abril. O prefeito Bruno Reis esteve no local para assinar a ordem de serviço e autorizou, ainda, a criação de duas praças equipadas com quadras poliesportivas, aparelhos de ginástica e áreas de lazer para a comunidade, além da construção de três escadarias para facilitar a locomoção e dar segurança às famílias que vivem na localidade.

O investimento na região será de R$ 7,6 milhões, oriundos integralmente de recursos do município. A obra alcançará 700 metros de extensão, e envolverá a construção de sistema de drenagem para que não ocorra mais enchentes e a cobertura de um trecho de 350 metros do córrego. O projeto integra o programa de recuperação de canais de Salvador, lançado pela Prefeitura em abril deste ano.

“Salvador é marcada por baixadas e sempre, lá embaixo, tem um córrego. E nós estamos fazendo o maior trabalho de urbanização de canais da história dessa cidade. Já determinei aos secretários que mapeiem mais áreas como essa porque, se tem uma prioridade para este prefeito, será a urbanização dos canais, para acabar definitivamente com o esgoto na porta das pessoas. Hoje, essa transformação chegou aqui, ao Canal da Fronteira. Para deixar no passado, de uma vez, essa dura realidade”, disse Bruno Reis no evento.

O Canal da Fronteira é a sétima obra do programa de recuperação de canais, que no total alcançará 24 trechos. Para o pacote, serão destinados R$ 50 milhões. Também estão em execução atualmente a Comunidade Baixa da Torre, em Daniel Lisboa; o Buraco da Gia, no Acupe de Brotas; na Rua Brasil, em Praia Grande; na Rua Padre José, em Santa Cruz; na Baixa da Paracaína, em Pau da Lima; e a segunda etapa da Av. Vale das Pedrinhas.

“Todos sabem que os problemas de esgoto não são uma responsabilidade da Prefeitura. Mas, se vocês me perguntarem: ‘prefeito, o que mais te incomoda nessa cidade? Quando você visita as baixadas, quando você vai à casa das pessoas, o que mais te preocupa’? O que mais me entristece é ver pessoas morando sobre córregos, sobre canais, onde o esgoto corre a céu aberto. E aí, quando vêm as chuvas, as pessoas têm que conviver com alagamentos, com ratos, com cobras”, discursou Bruno Reis.

Melhorias – O pedreiro Eduardo dos Santos, 48, é morador da região há 30 anos. Ele contou que é normal a água invadir a casa dos vizinhos quando chove. “Alaga tudo aqui e ninguém consegue passar. Tem muito bicho, muita cobra, então é perigoso, principalmente para as crianças. A gente espera isso há muito tempo, tem gente que já faleceu orando por essa obra aqui e agora vai acontecer, graças a Deus. As crianças estavam precisando dessas praças aí para brincar”, disse ele.

Titular da Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Luiz Carlos de Souza destacou que o benefício à população é inestimável. “Eu diria que é um bairro novo que estamos criando a partir das ações da Prefeitura, que vão trazer conforto e qualidade de vida para essas pessoas. Quando a gente vê os vídeos das pessoas acordando de madrugada, com água no joelho, às vezes na cintura, com os móveis boiando, é doloroso. A gente saber que com o nosso trabalho esse sofrimento vai acabar vale a pena qualquer monta de investimento”, disse.

A urbanização do córrego, sozinha, terá um investimento de R$ 6,5 milhões, contando com sistema de drenagem, aterro, abertura de vias e ruas e iluminação moderna. A praça maior terá 2.030 m² de área, e a menor, 475 m². Elas terão duas quadras poliesportivas, espaços de saúde e ginástica, parques infantis, paisagismo, e custarão cerca de R$ 600 mil. As três escadarias custarão mais de R$ 500 mil.

O prazo de conclusão das intervenções é de seis meses. O projeto envolve três órgãos da gestão municipal. A urbanização do Canal da Fronteira terá a Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra) à frente. As obras das escadarias serão realizadas pela Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman) e as praças, pela Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal).

Skip to content